agriFM

Selecione uma foto do seu computador ou arraste-a aqui. Tamanho recomendado 500px x 500px

Editar Canal



Thumb
Faça upload da imagem do seu podcast. Tamanho recomendado de 500 por 500 pixels.


nutriNews Brasil

Canal nutriNews Brasil

Seguir Seguir

Utilização de gérmen de milho na dieta de aves

O milho é o principal grão utilizado como fonte de energia na formulação de dietas para aves, assim como a soja é a principal fonte de proteína. Com isso, alterações nos preços ou na disponibilidade desses produtos pode levar a alterações nos custos de produção (LOPES et al., 2019). Sendo mundialmente cultivado, o milho apresenta cultivares selecionados para diferentes usos, tanto na alimentação humana como animal, além de outros usos industriais. Além de ser utilizado na alimentação animal, o milho também é usado na alimentação humana, como grão ou na forma de alimentos processados, na indústria farmacêutica e ainda pode ser destinado à produção de biocombustíveis. Esta ampla variedade de usos se deve ao fato de seus grãos serem ricos em amido e óleo (STAMENKOVIĆ et al., 2020). Os resíduos gerados a partir da indústria de alimentação humana que não são apropriados para o consumo das pessoas, ou que por algum motivo estejam caracterizados como inadequados para os padrões alimentícios, poderiam ser descartados. Recentemente, o uso destes coprodutos ganhou grande importância, e estes compostos passaram a ser vistos com grande potencial como ingrediente na formulação de dietas para a alimentação animal (VOLPATO et al., 2015). As indústrias alimentícias produzem coprodutos que podem ser destinados a alimentação animal, e esses alimentos se caracterizam como fontes alternativas para substituição dos ingredientes convencionais, especialmente milho e farelo de soja, como medida para diminuir o custo da alimentação, que chega a representar até 80% dos custos na produção de aves. Mas, é importante ressaltar que é essencial se levar em consideração a qualidade dos coprodutos que estão sendo incluídos na dieta dos animais, na busca da produção com melhor relação benefício: custo (FERREIRA et al., 2019). Para utilização desses coprodutos na alimentação animal, é necessário avaliar a sua composição química e os valores energéticos, para determinar o seu valor nutricional e identificar o nível de inclusão nas dietas, com a finalidade averiguar o seu potencial de utilização na formulação das dietas (REGINA et al., 2000; LITZ et al., 2014; VOLPATO et al., 2015). Dentre os métodos de processamento aos quais o milho é submetido, o processo de moagem úmida fraciona o milho em diversos componentes que compõem o grão como, gérmen, fibra e amido. Esse processo é utilizado antes de realizar a fermentação para ser possível retirar a parte fibrosa (CORRAY, UTTERBACK, PARSONS, 2018), coprodutos que podem ser destinados à alimentação animal. O DDGS é um exemplo de coproduto obtido a partir do processamento do milho, esse ingrediente, quando incluído na dieta das aves, pode contribuir com a melhoria da qualidade dos ovos em poedeiras, além de ser comprovado que as leveduras utilizadas no seu processo produtivo e presentes nesse coproduto colaboram para melhorar a imunidade inata dos animais e a saúde intestinal (SHIN et al., 2016; ALIZADEH et al., 2016). O gérmen de milho pode ser apresentado na forma integral ou desengordurado para ser utilizado na dieta de aves, seja para diminuir o custo de produção da ração ou pelas suas qualidades nutricionais. Para que sua inclusão não afete o desempenho e o metabolismo animal é necessário conhecer sua composição química energética e o nível de inclusão na dieta mais adequado para atender as necessidades nutricionais dos animais. #milho #gérmendemilho #aves #avicultura #aviculturadepostura #zootecnia #agro #agronomia

Relacionados com Nutrição animal

1
0
0

Compartilhar este podcast

Facebook Twitter LinkedIn Email
Avatar
Criar a minha conta