agriFM

Selecione uma foto do seu computador ou arraste-a aqui. Tamanho recomendado 500px x 500px

Editar Canal



Thumb
Faça upload da imagem do seu podcast. Tamanho recomendado de 500 por 500 pixels.


nutriNews Brasil

Canal nutriNews Brasil

Seguir Seguir

Digestibilidade do fósforo – Visão especializada Phosphea

A Phosphea é uma subsidiária do Grupo Roullier e foi fundada em 1976 em Saint Malo (Bretanha), no coração de uma região francesa de criação de gado. A Phosphea fornece soluções à base de macro- minerais para a nutrição animal em todo o mundo.

O fósforo é um dos nutrientes mais caros na dieta de monogástricos. Algumas margens de segurança são frequentemente utilizadas em dietas práticas, mas isso aumenta os custos. É por isso que está se tornando cada vez mais importante melhorar a eficiência do fósforo na dieta.

No passado, costumávamos falar sobre “fósforo total”, e agora estamos migrando para as noções de “fósforo não-fítico”, “fósforo disponível” ou “fósforo digestível”.

Na verdade, ao conhecer a biodisponibilidade do fósforo nos fosfatos, podemos controlar a fração de fósforo realmente absorvida pelo animal no intestino, para atender melhor às suas necessidades nutricionais, reduzir a excreção de fósforo nas fezes e, assim, contribuir para uma criação mais sustentável, otimizar a eficiência alimentar e obter resultados econômicos mais favoráveis.

Do ponto de vista fisiológico, é mais fácil medir a digestibilidade total do trato gastrointestinal para suínos e para aves, calculamos a digestibilidade ileal, também chamada de digestibilidade pré-cecal. O fósforo é principalmente absorvido no intestino delgado, portanto, não há diferenças significativas entre ambos os métodos.

De maneira geral, a digestibilidade do fósforo representa a diferença entre a ingestão de fósforo e a excreção de fósforo. Então, por um lado, temos a digestibilidade aparente, que não considera as perdas endógenas no cálculo. E por outro lado, temos a digestibilidade verdadeira, que as leva em consideração no cálculo.

Essas perdas consistem principalmente em secreções biológicas, como fosfolipídios, muco, etc. Esse fósforo não provém do ingrediente. Quando formulamos uma dieta sem fósforo, podemos medir essas perdas; o fósforo excretado pelo animal representa as perdas endógenas basais que são independentes da dieta.

Além disso, ao calcular a digestibilidade padronizada do fósforo, você tem uma dieta na qual todo o fósforo vem do fosfato. Portanto, qualquer fósforo encontrado nas fezes provém do fosfato ou das perdas endógenas, mas não dos vegetais presentes na ração.

Assista à entrevista completa com a Phosphea!

Relacionados com Nutrição animal

25
14
110

Compartilhar este podcast

Facebook Twitter LinkedIn Email
Portugués
POR
Avatar
Minha conta